Arquivos para posts com tag: Companhia das Letras

O ano de 2010 já terminou e 2011 está na área, cheio de boas promessas para todos nós (pelo menos, assim esperamos!). No primeiro post do ano, resolvi fazer uma retrospectiva do que marcou minha leitura em 2010. Acompanhe!

 

1- Chick lit: minha paixão assumida

Em 2010, declarei meu amor aos livros de mulherzinha. Marian Keyes reinou quase absoluta em meus momentos de folga! Li todos os seus livros, falta apenas o “Cheio de Charme”, lançado em novembro pela Editora Bertrand. Por enquanto, seu preço está “salgado” para meu bolso (R$59,00). Também descobri Sophie Kinsella, dona de uma narrativa leve e descontraída: diverti-me com a saga da compradora maluquinha Becky Bloom, emocionei-me com o “Lembra de Mim?”, ri com as trapalhadas de “O Segredo de Emma Corrigan” e passei o tempo com “Samantha Sweet, a Executiva do Lar” (este foi o mais fraquinho, em minha opinião), faltou apenas ler “Menina de Vinte”. Li, ainda, Lauren Weisberger (“O Diabo Veste Prada” e “À Caça de Harry Winston”) e as aventuras da fofinha Heather Wells, criada por Meg Cabot.

O engraçado é que viciei minha mãezinha em chick lit. Portanto, sempre que leio algo do gênero, levo para ela. Até mamãe está ansiosa para ler o último de Keyes, hehehe!

 

2- Descobri a literatura sueca

Essa descoberta foi meio tardia, mas antes tarde do que nunca, não? Graças aos blogs literários, conheci a Trilogia Millenium (Companhia das Letras), de Stieg Larsson, e maninho me deu de presente os três livros em julho passado. Só em setembro me aventurei nas muitas páginas de “Os Homens que Não Amavam as Mulheres” e logo a história do jornalista obstinado Mikael Blomkvist e sua parceira, a enigmática hacker Lisbeth Salander, prendeu-me por completo. Não precisei de um mês para concluir a leitura dos volumes seguintes, “A Menina que Brincava com Fogo” e “A Rainha do Castelo de Ar”. A Trilogia Millenium agora faz parte da lista de meus livros favoritos!

Em dezembro, li outro livro sueco, que escolhi após ganhar uma promoção na Loja do Altivo: foi o cruel “Box 21” (Editora Planeta), dos suecos Borge Hellström (ex-criminoso que se dedica a reabilitar jovens delinquentes e dependentes químicos) e Anders Roslund (jornalista). Ao narrar a história de Lydia Grajauskas e Alena Sljusareva, os autores descortinam o mundo bárbaro da escravidão sexual existente na Europa. É preciso ter estômago forte para encarar este romance policial, mas recomendo a leitura.

 

3- Re-descobri as biografias

Na minha fase pré-adolescente, adorava ler biografias. Não me importava nem se a pessoa do livro era conhecida, simplesmente eu gostava de conhecer sobre a vida alheia. Mas logo a paixão esfriou… Lembro-me de ter lido somente uma biografia em minha fase adulta, a de Eric Clapton, um de meus cantores favoritos. Em outubro, ao ser sorteada em uma promoção da Editora Fundamento, escolhi o livro “Adeus, China”, que já resenhei aqui no blog.

Fiquei tão animada que pretendo retomar este tipo de leitura. A primeira biografia de 2011 será a de Billie Holiday, da L&PM Pocket, que comprei essa semana.

 

4- Li a saga Crepúsculo

E não gostei! Ok, se eu fosse adolescente, certamente seria uma grande fã do meloso romance de Bella Swan e Edward Cullen, mas como já passei da adolescência há muito tempo, a história não fez muito a minha cabeça. Li todos os volumes por uma questão de curiosidade (sim, eu queria saber como ela terminava, e torcia pelo lobisomen, kkk). Ah, também assisti os filmes!

 

5- Perdi o preconceito com os livros de autoajuda

Torcia o nariz para livros de autoajuda. Sempre fui da opinião de que essa categoria só ajuda aos seus autores, que vendem muito e ganham bem com seus livros. Entretanto, como trabalho com Gestão de Pessoas, deixei o preconceito de lado e me rendi aos gurus do pensamento positivo: Augusto Cury é o número 1 na minha preferência!

Uma grata surpresa foi o livro de autoajuda empresarial “O Executivo sem Culpa” , de João Ermida, que recebi da editora parceira do blog, a Lua de Papel. A resenha sai ainda este mês aqui no Funcionária!

E continuo querendo ler “Mulheres, Comida & Deus” (Lua de Papel), de Geneen Roth, como já falei neste post. E dá-lhe autoajuda!

 

6- Livros X seriados

Li todos os livros das séries Gossip Girl e Garota It só para confirmar que prefiro o seriado Gossip Girl. Primeira vez que, na minha opinião, gosto mais da versão adaptada dos livros do que dos originais (sim, sou fã de Gossip Girl, algum problema?).

 

Estas não foram minhas únicas leituras em 2010, um dos anos em que mais li em toda a minha vida, mas foram as mais marcantes. Afinal, existem coisas melhores que um livro?

E você, quais livros marcaram sua vida em 2010?

Até logo!

 

Anúncios

“Sua presença me conforta, seu cheiro me excita. Quanto maior ele for, mais prazer me proporcionará. De noite ou de dia, na cama, no sofá, no banheiro, no ônibus – toda hora é hora, e qualquer lugar é válido. Quando eu não o tenho ao meu alcance, fico desnorteada, roendo unhas, tentando antecipar a próxima vez.

Já cheguei atrasada no trabalho por sua causa. Já fui privada de incontáveis noites de sono. Todavia, cada experiência é única e inigualável, e vale todo o esforço.

Mesmo que eu tente negar, tornou-se uma compulsão. Sim, é uma compulsão. Sou compulsiva.

Sou uma leitora quase que fescenina: não sou fiel a nenhum autor, muitos me agradam. Promovo verdadeiros bacanais literários, lendo, ao mesmo tempo, autores completamente diferentes, misturando o tradicional e o heterodoxo, o conservador e o politicamente incorreto.

Nas últimas três semanas estive envolvida com José Saramago, Geraldine Brooks e Aldous Huxley. O que eles têm em comum? Apenas o fato de me envolverem completamente com suas narrativas.

Não posso ficar sem um livro ao alcance de minhas mãos e meus olhos. Tenho crise de abstinência, tal qual um viciado na falta de seu entorpecente. É como se faltasse um pedaço de mim. É como se o livro fizesse parte de um elixir, cuja função principal fosse tornar minha vida menos enfadonha e deixá-la mais emocionante. Preciso saber que ele está ali, bem perto de mim, aguardando que eu me abandone em meio às suas páginas…

Sempre fui assim. Arrisco-me a afirmar que desde criança tenho este comportamento de traça. Esta história daria até um livro e, parafraseando Markus Zusak, poderia se chamar “A menina que devorava livros”.

No momento estou divida entre John Grogan e Mario Vargas Llosa: o novo e o antigo fazendo parte de meu presente. Entrego-me aos dois, como uma amante passiva, em busca de novas aventuras em mundos distantes e desconhecidos…”

Publiquei este post originalmente no blog Maldita Compulsão em janeiro de 2009, para tentar explicar o meu vício em livros.

O vício continua – ainda bem, pois ler é uma das melhores coisas da vida! Por isso, hoje vou anexar ao texto os livros que estou lendo e os que irei ler em breve.

1- Leituras em andamento

Noturno” (Ed. Rocco) é o primeiro volume da Trilogia da Escuridão, escrita por Guillermo Del Toro (diretor do espetacular “O Labirinto do Fauno“) e Chuck Hogan, sobre uma batalha entre homens e vampiros. Ainda não cheguei na metade do livro (são 463 páginas), mas já posso afirmar que a narrativa realmente prende a atenção. Se você gosta de livros de suspense, é uma boa opção! Assim que terminar, vou resenhá-lo aqui. O melhor de tudo é que paguei apenas R$ 9,99 pelo livro, em uma promoção das lojas Americanas (na loja física, não no site).

Tem Alguém Aí?” (Ed. Bertrand Brasil), de Marian Keyes, é o único livro que ainda não tinha lido desta autora que adoro. Já estou na metade das 598 páginas, também vou falar sobre ele aqui no blog. Paguei R$ 16,00 pelo livro em um leilão na Loja do Altivo.

2- Próximos livros

Na semana passada, recebi um livro da Lua de Papel, nossa parceira aqui no blog: “O Executivo sem Culpa“, de João Hermida.

Começo a ler ainda esta semana “O Executivo sem Culpa” (186 páginas). No livro, o autor faz uma reflexão sobre a importância de se manter os valores pessoais na vida profissional, visto que a falta de ética é um problema comum em empresas e nas relações interpessoais. Como eu ministro cursos sobre ética profissional e relações no trabalho, a leitura vai ser muito pertinente e enriquecedora.

3- Na fila de espera

Recebi hoje pela manhã a Trilogia Millennium, com os três livros super badalados de Stieg Larsson: “Os Homens que Não Amavam as Mulheres“, “A Menina que Brincava com Fogo” e “A Rainha do Castelo de Ar” (Ed. Companhia das Letras). Presente de meu maninho, que comprou a coleção em uma superoferta do site Americanas.com: R$ 49,90 pelos três livros! Estou curiosa para saber se estas histórias de suspense são tão boas quanto dizem…

E você, o que está lendo? Deixe seu comentário, sua opinião é muito importante aqui no Funcionária do Mês.

Até logo!