Arquivos para categoria: Desejo do dia

Roupas. Nunca fui fanática por roupas – sempre preferi comprar calçados e livros -, mas agora sinto falta de me interessar por elas. Não ao ponto de ser exagerada e querer sair comprando e entupindo o guarda-roupa, mas pelo menos queria ter as roupas corretas para cada ocasião. Quando sou convidada para festas e casamentos, nunca tenho um traje minimamente adequado, por isso acabo optando por perder a festa ao invés de procurar algo para comprar. Quando o evento é ligado ao trabalho, por mais que eu me esforce tenho sempre a sensação de não estar vestida corretamente.

E o fato de estar acima do peso dificulta isso ainda mais, afinal as roupas para gordinhas não são fáceis de encontrar – e são bem caras, por sinal. Portanto, fico acomodada e meu guarda-roupa continua lá, abandonado e desatualizado…

Ploc-ploc. Não conhece? É um gadget que simula um plástico bolha infinito. Além de  permitir que você estoure quantas vezes quiser seu “plástico-bolha virtual”, a cada 100 toques ele emite um som surpresa.

Meu marido perguntou: “mas por que você quer uma bobeira dessas?”. Fiquei indignada, pois como a maioria das pessoas normais, eu ADORO estourar plástico-bolha! Quando era criança, um pedacinho desta embalagem poderia facilmente virar motivo de briga entre meu irmão caçula e eu.

É altamente relaxante estourar as bolhinhas! Com um brinquedinho deste tipo sempre ao meu alcance, mandar o stress pra longe ia ficar fácil, fácil – ou, no mínimo, evitaria unhas roídas…

Eu quero!!!

Controle remoto do filme “Click”. Adam Sandler, por favor, me empresta o aparelhinho que seu personagem utilizou neste filme? Como ele seria útil para mim…

Imagina só: poderia usar o botão << para voltar atrás em atitudes, escolhas ou conversas mal-sucedidas, poderia dar um >> em situações tediosas e inúteis, ou então simplesmente apertar o MUTE para privar meus ouvidos de coisas que pudessem me chatear – e também para me calar antes de dizer algo impensado. O botão PAUSE seria magnífico para prolongar os poucos momentos de folga e felicidade.

O tal do livre-arbítrio bem que poderia ser mais parecido com esse controle remoto…

Se alguém tiver um desses para vender, avise-me, por favor!