Nos dias atuais, a preocupação com a sustentabilidade é algo presente nas escolas. Divulgar e implementar as chamadas iniciativas verdes é um desafio enfrentado pelos educadores: afinal, como conscientizar os jovens acerca da importância da preservação do meio ambiente? E como estimulá-los a colocarem em prática estas ações fora do meio escolar?

É o que estamos tentando fazer na Escola Municipal Dr. Gladsen Guerra de Rezende, no bairro Canaã, em Uberlândia-MG, onde leciono História para as turmas finais do Ensino Fundamental desde março (já contei antes aqui no blog que sou professora). No início do 2º semestre, motivado pela preocupação com o grande volume de lixo produzido pelos estudantes, a direção da escola, juntamente com o corpo docente, desenvolveu um projeto multidisciplinar para incentivar a educação ambiental, evitar o desperdício e promover a conservação patrimonial. É o Projeto de Preservação do Patrimônio Público.

Uma das estratégias adotadas neste projeto foi a seguinte: em uma segunda-feira do mês de agosto, cada sala de aula recebeu um saco preto, onde o lixo deveria ser descartado; o saco era recolhido no final do turno e devolvido na manhã seguinte; na sexta-feira, todos os sacos foram pesados perante todos os alunos, para que eles soubessem qual sala tinha produzido o maior volume de lixo. O lixo também foi analisado, e algumas orientações foram passadas aos estudantes, como por exemplo a ideia de aproveitar os papeis descartados (muitas vezes folhas de caderno com pouquíssimas linhas utilizadas) para montar bloquinhos de rascunho, com a sugestão, inclusive, de levar este bloquinhos para seus pais.

Nesta ação, os alunos também foram informados que a escola adotaria a coleta seletiva na própria sala de aula: um recipiente para lixo úmido – a ou “Ki Nojo“, como ele foi apelidado –  e outro para lixo seco – chamado pela escola de “resíduo reaproveitável“. Todos os professores orientaram os alunos sobre a correta utilização dos recipientes. Veja como eles ficaram:

Coleta seletiva dentro da sala de aula.



Os cestos foram confeccionados pelos estudantes junto com a professora de Artes.

Orientações de conscientização ficam expostas na parede acima dos cestos.

Diversos cartazes com mensagens de conscientização, também confeccionados pelos alunos, foram espalhados pela escola:

Cartaz afixado no mural da entrada da escola.

Cartaz afixado em um dos corredores da escola.

Cartaz exposto na rampa que dá acesso ao piso superior da escola.

Cartaz próximo às salas de aula.

A conscientização dos alunos está melhorando gradativamente. A quantidade do lixo produzida por eles já diminuiu, assim como o lixo jogado no chão, e é comum observarmos que os próprios estudantes dão bronca em colegas quando estes não descartam os resíduos corretamente. O próximo passo será a reciclagem do papel descartado, em mais um trabalho realizado pela professora de Artes.

Sabemos que esse trabalho deve ser feito todos os dias, para que hábitos ruins sejam deixados de lado e atitudes saudáveis sejam adotadas em prol da saúde do planeta Terra. Nós, como professores, sabemos que é uma tarefa árdua, porém temos consciência de nosso papel neste processo educativo. E é gratificante quando vemos resultados positivos provenientes desse trabalho em equipe. Parabéns à toda a equipe da escola Gladsen Guerra!

“Este post está participando do Concurso Cultural “Iniciativa Verde”, promovido pela Algar Telecom, detentora da marca CTBC. Acesse: www.ctbc.com.br/sustentavel e saiba mais”.

Anúncios