Fui ao cinema no ano passado, em outubro, para assistir “Comer Rezar Amar“. Mas coincidiu com o dia da estreia de Tropa de Elite 2 e, na disputa sobre qual filme escolher, a turma do Capitão Nascimento levou a melhor. Portanto, só agora que o filme foi lançado em DVD é que eu o assisti. E gostei muito!

Admito que estava com receio de assisti-lo, achei que fosse perder meu tempo. É que comprei o livro homônimo que deu origem ao filme em 2010 e, ao contrário de milhões de pessoas no mundo todo, não despertou minha atenção. Na verdade, “empaquei” na parte sobre a Índia, mas agora, ao ver o filme, vou pelo menos tentar finalizar a leitura.

Liz Gilbert (Julia Roberts) é uma jornalista estadunidense que, após um divórcio traumático e um namoro frustrado, segue para uma jornada em busca de autoconhecimento. A rota escolhida é Itália – Índia – Bali. O filme não conta este detalhe, mas ela foi paga antecipadamente por uma editora para escrever o livro após a viagem, imagina que sonho, ficar um ano viajando por estes lugares e ainda receber por isso?

Na Itália, ela se dedica a estudar a língua e conhecer os prazeres gastronômicos locais. Se a gula for um dos seus pecados capitais, tome cuidado, pois as cenas são de abrir o apetite!

Na Índia, ela mora por um tempo em um ashram (um eremitério hindu), onde espera conhecer sua guru, meditar e encontrar seu equilíbrio interior.

A viagem à Bali, por sua vez, é ainda mais especial: lá, ela vai ao encontro de Ketut, um xamã que ela conhecera anos antes, que fizera previsões acertadas sobre sua vida. Ele quer lhe ensinar sua filosofia e espera que ela lhe ajude a aprender inglês. É nesse país belíssimo que ela vai por à prova seu coração machucado ao conhecer o brasileiro Felipe (Javier Barden).

Ao contrário do livro, a narrativa do filme não é enfadonha, a fotografia encanta por sua beleza, deixando-nos com vontade de conhecer os lugares que Liz visitou. Julia Roberts, como sempre, está excelente em sua atuação (gosto muito dela, sou suspeita para falar), e o competente (e charmoso!) Javier Barden convence em sua interpretação de um brasileiro.

Um bom filme, para ver sozinha ou acompanhada, que segue a mesma linha de autoajuda do livro.

Recomendo!

P.S. : encontrei neste site algumas curiosidades sobre o filme.

Anúncios